C.O.T- Em memória à minha querida princesa

3 out

No começo, você não acredita na notícia que acabou de receber.
É como se, não fosse verdade nada daquilo, até você se dar conta
da realidade a partir do momento em que está se enterrando o 
caixão. 
Um caixão pequeno para uma pessoa que foi embora depressa demais.

_

 Boa noite pessoal. Infelizmente, depois de quase um mês sem postar, estou voltando ao blog… com uma notícia horrível.

As vezes, em momentos como esse, pensamos o quanto a vida é injusta. Onde está Deus nisso tudo e mais um monte de perguntas que nos fazemos, já sabendo que não teremos as respostas.

Sexta-feira, ontem, às 22hrs, minha mãe e eu estávamos na parada de ônibus esperando o nosso transporte. Era só mais um dia rotineiro. Estávamos felizes porque era sexta e estávamos voltando pra casa, para descansar e curtir o final de semana. Mas… o que ninguém espera é receber uma notícia do tipo “Fulano faleceu”.


Minha prima já vinha lutando por quase 28 dias por sua vida. Ela estava apresentando uma melhora, tudo indicava que era só uma questão de tempo até ela sair do hospital, ou pelo menos era o que nos diziam.
Lembro que, quando recebi a notícia “Deus levou pra si a Heloísa”, senti um grande arrepio na nuca e minha mãe e eu ficamos perplexas com aquilo. Não parecia se encaixar. Não conseguimos acreditar.

Eu me senti da mesma forma quando minha casa foi assaltada. Eu sabia que havia acontecido, mas eu estava “anestesiada” demais para perceber que era mais grave e real do que eu imaginava.

Obviamente, meu tio e minha tia ficaram arrasados. Meus avós não puderam conter o choro também.
Apesar de toda a dor, o funeral foi feito imediatamente. A família toda (ou quase) estava lá, hoje às 16hrs para o enterro.

Quando cheguei naquele cemitério, senti-me muito desconfortável e só consegui pensar “Nunca pensei que fosse visitar um cemitério tão cedo assim”.
Os meus tios (os pais da criança) não conseguiram se conter ao nos ver e caíram em prantos.
Eu pensei que não fosse chorar pelo o fato de não ter tido muita convivência com a Lolô, mas me enganei profundamente.
image

 Acredito que deveria ser um crime os pais enterrarem seus próprios filhos, que no caso dos meus tios, já era a segunda filha deles morta.
Nenhum pai devia passar por isso. Por essa dor, esse sofrimento, essa angústia.
As palavras que meu tio e minha tia disseram…não eram simples palavras, mas era uma despedida sofrida e com tristes esperanças. Foram sonhos que ambos alimentaram mas que não puderam dar ao seu bem mais precioso.

Nessas horas, muitos se perguntam “Onde está Deus nisso tudo que deixou minha(meu) filha(o) partir assim?”

O nosso maior problema é culpar Deus por todas as coisas ruins que nos acontecem por, justamente, não acontecerem da forma que nós queríamos.
As vezes reclamamos tanto das coisas que não paramos para analisa-las. Deixamos nossa fé de lado por causa de alguma decepção e ficamos achando que está “tudo bem”, quando na verdade sabemos que não está.

A verdade é que Deus sabe de todas as coisas, e se oramos e pedimos a Deus “Faça a sua vontade assim na terra como nos céus”, não é a nossa vontade que tem que ser feita, e sim a dEle.

No caso da minha prima, ela estava com tantas complicações que, de acordo com os médicos, ela poderia ter alguma deficiência ou uma doença (grave ou moderada). Pra animar ela, ela precisava de várias doses fortes de remédios e respirava através de aparelhos por causa de seus pulmões que não estavam crescendo corretamente.
Acredito que, para evitar o sofrimento dela e dos pais dela, Deus decidiu leva-la pro céu com Ele, onde ela não terá dor nem sofrimento.
É claro que os pais dela sofreram demais com isso, mas não tem coisa mais triste do que ver um pai preocupado, desesperado para conseguir comprar os remédios que seus filhos necessitam para sobreviver. Para viver.

Portanto, acredito que Deus não é o culpado, que Deus sabe de todas as coisas que faz, e que ela está em um lugar bem melhor agora. Ela está em paz, livre da dor e do sofrimento desse mundo. E se ela não pode vir até nós então, um dia, iremos até ela.

 E com essa experiência, me dei conta do quanto somos frágeis e pequenos. De como podemos morrer facilmente do dia pra noite, por isso, é muito importante que aproveitemos nossa família, as pessoas que amamos enquanto se há tempo. Porque o amanhã, ninguém conhece.

Descanse em paz, Heloísa.

Uma resposta to “C.O.T- Em memória à minha querida princesa”

  1. Eu 11/10/2015 às 3:49 am #

    Meus pêsames…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: